Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Um mês de vida

 

Pois é, o tempo voa e o meu baby já tem mais de um mês. Já está mais crescido, mais pesado, mais comprido e com as feições ligeiramente diferentes... continua a ser um bebé, mas já tenho saudades de como ele era quando nasceu. Acredito mesmo que vou ter saudades de todas as fases pelas quais vai passar, até porque parece que nunca se goza devidamente o bebé e o tempo que se passa com ele.  

Antes de ser mãe já havia uma série de aspetos que eu antecipava que iria apreciar no meu filhote, à semelhança do que acontece com os outros pais. Mas, de facto, ser mãe/pai torna tudo diferente e a experiência ultrapassa o imaginário. Neste momento estou perdidamente apaixonada pelo meu filhote. Tudo nele é adorável, tudo é encantador e todo ele gera em mim alegria, emoção, vaidade e orgulho.

 

Adoro vê-lo dormir. É a imagem mais pura da sua inocência, tranquilidade e fragilidade;

Adoro vê-lo dormir com os braços abertos e levantados;

Adoro vê-lo saltar quando se assusta com algum som;

Adoro o sorriso que esboça quando está prestes a adormecer;

Adoro ver a concentração com que mama;

Adoro quando ele está a dormir e o retiro da mama continuando a mamar no vazio;

Adoro quando fixa o olhar em mim;

Adoro quando me segue com o olhar, acompanhando os meus movimentos;

Adoro quando sorri para mim;

Adoro quando palra e procura comunicar comigo;

Adoro o beicinho que faz quando quer atenção;

Adoro o seu ar de aflição quando lhe coloco o soro no nariz;

Adoro as expressões de surpresa, agrado e desagrado quando lhe dou as gotinhas;   

Adoro o seu choro;

Adoro quando geme e se acalma com a minha presença e o meu toque;

Adoro quando está com cólicas e se agarra a mim com as suas mãos e dedinhos pequeninos;

Adoro os seus olhos grandes, escuros e brilhantes;

Adoro o seu olhar de assustado;

Adoro vê-lo observar o mundo em seu redor;

Adoro vê-lo a ouvir música;

Adoro vê-lo nos braços do pai;

Adoro que precise de mim para se sentir bem;

Adoro tudo nele;

 

Amo tê-lo nos meus braços e saber que é meu filho;