Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Quem elege quem não votou?

boletim-de-voto_1.png

Desde que atingi os 18 anos que assumi que tenho a obrigação de votar. Considero que é um direito fundamental numa democracia e uma conquista louvável. Sei que não lutei para adquirir este direito, pelo contrário, nasci com que este direito adquirido. E como tantas outras coisas que a minha geração pode dar como garantidas é fácil desvalorizar ou ignorar. Eu pelo, contrário, entendo que votar é um dever de cidadania fundamental e necessário ao bom funcionamento do país. Nunca deixei de votar. Já votei em diferentes partidos e em branco, mas nunca achei que a melhor forma de me manifestar fosse ficar em casa sem votar. Compreendo que existe muita desilusão com a política, descrença nos políticos e desesperança quando ao futuro político, mas ainda assim, acho que temos o dever, a obrigação de opinar e expressar a nossa vontade, ainda que condicionada pelas escolhas disponíveis.

Na minha opinião, as legislativas são as eleições que mais diretamente têm impacto na nossa vida, e como tal, acabam por ser aquelas que mais valorizo, apesar de exercer o meu voto em todas. Sendo assim, não compreendo como é que é possível que este ano a taxa de abstenção seja ainda maior e tenha atingido os 43,07‰ dos eleitores. São mais de 4 milhões de pessoas que não votaram. 4M€?!! É muita gente, mesmo. Será que estas pessoas pensaram que não iam às urnas fazer nada? Será que acharam que o seu voto não faria a diferença? Será que consideraram que o partido em que votariam já estava eleito? Ou pelo contrário, acharam que o seu partido nunca venceria? Não sei qual a explicação. Sei que o vencedor não alcançou 43‰ de votos. Sei que este valor era suficiente para fazer o mais pequeno dos partidos vencer. Sei que se estes 4 milhões de pessoas tivessem ido às urnas os resultados poderiam ter sido os mesmos ou completamente diferentes. É altura de acreditar que todos juntos fazemos a diferença. Se não acreditar que o meu voto tem poder, tenho de me lembrar que não voto só e que todos os votos contam para o resultado final.

Agora seria bom que estes 4 milhões não se manifestassem durante os próximos 4 anos. Será que alguma destas pessoas vai efetivamente ficar calada quando não gostar de alguma política implementada? Quando sofrer mais um corte? Será que não vai fazer greve? Ou participar em alguma manifestação? Gostava que nas próximas greves, manifestações e críticas ao governo estas pessoas tivessem um autocolante na testa a dizer “eu não votei”.