Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Cristina Ferreira: a mulher que se constrói

A minha primeira recordação da Cristina Ferreira remete-me para o período em que ela começou a apresentar o programa das manhãs da TVI com o Manuel Luis Goucha. Antes disso sei que deu em alguns programas do Big Brother, mas não me recordo dela. Recordo-me de que quando ela começou muitos a criticaram por ser saloia, falar alto, ter uma postura muito diferente da do seu colega e de ter pouco da imagem e comportamento que frequentemente se atribui a uma apresentadora, especialmente de um programa em direto. O tempo foi passando e a Cristina soube marcar com o seu estilo único e inconfundível. Foi capaz de se afirmar e conquistar um lugar na televisão nacional, passando a ser reconhecida pelo seu trabalho e competência. Esta progressão na sua carreira foi sendo acompanhada por um refinar da sua imagem, tornou-se cada vez mais polida, mais cuidada, em alguns momentos mais sofisticada, mas sempre fiel a si mesma. Das manhãs passou para as noites, também acompanhada pelo Goucha, na apresentação de um programa com crianças, até que mais tarde deu o seu grande trampolim e teve a oportunidade de apresentar um programa de dança em direto e sozinha (que infelizmente começou com a trágica queda do toureiro). Aqui, a Cristina encontrou um palco para se exibir e se apresentar de um modo único e genuíno. Passou a a evidenciar o seu corpo, através dos modelos extravagantes que vestia, passou a arriscar na apresentação (umas vezes correndo bem, outras nem tanto), conquistou mais uma vez um espaço só seu e fortaleceu a sua imagem e a sua marca. A partir daqui foi sempre a avançar.

A Cristina tornou-se oficialmente uma marca. Começou devagar e de repente parece que não pára. Um blog, em que é a principal protagonista e em que encarna várias personagens, uma parceria com marca de sapatos, um livro de receitas, parcerias com várias marcas, mudanças de visuais marcadas e arrojadas, a função de diretora de conteúdos artísticos da TVI, um perfume e agora uma revista de nome CRISTINA, que será certamente fiel a ela própria. Sem dúvida que a Cristina é um caso de sucesso e devia ser objeto de estudo. Ela que poderia ser só mais uma a arriscar no mundo da apresentação (como tantas centenas), soube construir-se, definir-se e impor-se. Hoje todos sabem quem é a Cristina Ferreira, hoje tem associada a si uma imagem de glamour, hoje será certamente uma mulher com milhões de euros na conta, mas todos sabem que tudo o que conseguiu foi graças a si, ao seu trabalho, ao seu esforço, dedicação, criatividade e capacidade para arriscar e empreender. De algum modo, a Cristina parece-me aquela pessoa que é capaz de fazer tudo aquilo que muitas de nós gostaríamos de fazer, mas que não temos coragem para fazer. Ela tem coragem para tudo, ela arrisca. É destemida, ousada e ambiciosa. Acredito que tenha medo de falhar, todos temos, mas ela não  o mostra, é capaz de se rir dela própria, de dar festas surpresas sem cair no ridículo, de ser a principal figura da sua marca, de se deixar fotografar das mais diversas formas, de mostrar o que conquistou e de falar que quer mais e que irá certamente mais longe. A Cristina não me causa inveja, a Cristina é uma fonte de admiração, é um exemplo a seguir.

 

 

images.jpegDaily-Cristina-Ferreira-Nova-Gente-15.pngCristina-Ferreira-revista02.jpgfotografia-32.jpg 

2 comentários

Comentar post