Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Às vezes é difícil..

.. simplesmente viver. Sei que não me posso queixar da vida que tenho e da vida que levo, sei que há quem tenha problemas e dificuldades reais. Sei que sou uma priveligiada pela ausência de dificuldades que vivo, mas quero mais, preciso de mais. O último ano foi uma benção. Pude acompanhar o crescimento do meu bebé, é uma experiência única e indescritivel, mas ao mesmo tempo parece que toda a minha vida saiu do meu controlo. 

Quando as noites são más, os dias são péssimos. As noites são más muitas vezes. Quando penso que estamos a entrar numa nova e boa fase, eis que surge uma noite daquelas que nos diz que o pior ainda não passou. Acordo zombie, com dores de cabeça, muito cansaço e por vezes tenho fortes momentos de exaustão. Arrasto-me durante o dia. Produzo o necessário, não o que gostaria e abaixo das minhas capacidades. Entre a casa, o bebé, as sopas, a lida doméstica, o trabalho, as compras e o ginásio (o único mimo que consigo manter), não me consigo organizar para mais nada. É acordar cedo, mas sair tarde de casa, passar o tempo a correr, sentir que não há tempo para fazer tudo. Chegar a casa tarde, deitar tarde, preparar as coisas para o dia seguinte e ir dormir, com a esperança de ser uma noite boa e recomeçar. E eu não trabalho todos os dias. 

Sinto falta de ter tempo para pensar, para definir objetivos, para voltar a sonhar e sentir a euforia e a adrenalina. Neste momento estou passiva, sinto que a vida me foge, que eu estou a assistir e que não consigo fazer nada para mudar. E culpo-me, culpo-me por isto estar a acontecer, por não conseguir mudar, por não estar a evoluir, por não estar a ser boa em nada. Por me estar a limitar à mediocridade. Eu não sou assim,.. eu não era assim. Não consigo ser assim, não gosto de viver assim.