Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

Trivial e Singular

Um blog simples e único sobre as trivialidades e singularidades da (minha) vida

A minha casa

A minha casa é especial. A minha casa é a casa da minha família. É o nosso lar. O local onde se vivem vidas e se constroem memórias. É onde os meus filhos crescem, se riem, choram, fazem descobertas, aprendem,.. é onde tudo acontece. Gosto muito da minha casa, de cada canto, de cada divisão. Todos os espaços estão recheados de histórias, recordações e muitas emoções. Apesar de tudo ser especial nesta casa, hoje acordei a pensar na cozinha. 

 

A nossa cozinha é rica, muito rica. Cheia de acontecimentos. É a minha cozinha, do meu marido e dos meus filhos. Todos vivemos lá importantes momentos. A nossa cozinha é uma espécie de retângulo com um balcão a fazer a divisão. De um lado está a parte funcional da cozinha com todos os equipamentos típicos. O lava louça está colocado na ilha. É uma ilha totalmente dedicada ao trabalho culinário. O fogão também está instalado neste espaço. É uma boa ideia. Assim, passo a maior parte do tempo dedicado à cozinha numa posição que me permite olhar para os meus filhos e nao ficar o tempo todo virada para a parede. Estou a lavar a alface e os outros legumes para a salada que vai acompanhar o frango de churrasco que o pai está a preparar lá fora. Os miúdos estão sentados no balcão da cozinha a fazer os TPC. O boy termina as suas atividades, que são fáceis para ele, e mete-se com a irmã, que está a fazer de conta que também tem TPC e inventa uma série de problemas escondidos nos seus sarrabiscos. Juntos vão contando como correu o dia na escola, as peripécias com os amigos e os professores. Eu vou sorrindo e questionando com muito interesse o que me contam, deliciada com as suas histórias e ingenuidade. O pai, vem à janela espreitar o que se passa. A porta está aberta, e também ele fica enconstado à parede a deliciar-se enquanto ouve as aventuras dos nossos filhos. Trocamos olhares e sorrisos discretos, que evidenciam a nossa alegria pela vida das nossas crianças. 

 

Os miúdos, juntos colocam a mesa na outra parte da cozinha. Temos uma mesa redonda. Sim, tem de ser redonda, acho que nos aproxima mais. Ao fundo da cozinha está um sofá, onde as crianças saltam e gritam enquanto os pais se ocupam de variadas tarefas. O pai termina o frango, vem para dentro e senta-se no sofá onde é atacado pelos miúdos que o assaltam com beijos e abraços. Eu estou apaixonada, do outro lado da cozinha, a sorrir e a observar tanto amor. 

 

Esta cozinha é muito especial. É onde aos Domingos, depois de termos ficado todos juntos até tarde na cama, fazemos um brunch demorado, ao mesmo tempo que se sente o aroma do bolo que fiz (enquanto os miudos e o pai faziam as camas e tomavam o duche) e que acabo de tirar do forno. Temos bolo, panquecas, leite, cereais, sumo de fruta, café, pão, fiambre, manteiga, queijo, nutella e muito amor. Os miúdos adoram os meus bolos e fazem pedidos para a próxima semana. "Mãe, eu quero que faças as bolachas de manteiga", "Não. Eu prefiro o bolo de chocolate". E lá vamos nós, eu e o pai, negociando as guloseimas a fazer em familia. É nesta cozinha que diariamente tomamos o pequeno-almoço, sentados no balcão. É também neste balcão que se fazem os TPC e os desenhos que são colocados no frigorifico e que forram uma das paredes da cozinha. Em torno da mesa contam-se histórias, fazem-se planos para o fim-de-semana, para as férias, partilham-se momentos mágicos. E no sofá vivem-se verdadeiros momentos de ternura e afeto. O boy enrosca-se em mim e a girl no pai. Ambos dão e recebem muito mimo. Lá para o meio o pai e a mãe dão as mãos e sorriem pela felicidade que sentem.